quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Contraponto 3247 - Lula quis fazer e a Dilma fez

.
09/09/2010
Lula foi quem construiu o
Minha Casa Minha Vida

Conversa Afiada
09/09/2010

Lula quis fazer e a Dilma fez


A Caixa deve financiar este ano R$ 70 bilhões para a compra da casa propria.

É um record – clique aqui para ler e dar bye-bye Serra forever.

Desses 70 bilhões, a metade (R$ 35 bi e 800 milhões) é do programa Minha Casa Minha Vida.

O MCMV financia desde um salário mínimo de renda mensal (R$ 415) a dez salários mínimos de renda mensal.

Para quem ganha um salário mínimo por mes, a prestação é de R$ 50 mensais, com prazo de financiamento de 10 anos.

R$ 50 por mes, por dez anos.

Que horror !

Segundo Maria Fernanda Coelho, presidente da Caixa, 94% das obras financiadas pelo MCMV já estão em construção.

Por causa disso, segundo os últimos dados do Banco Central, o volume de crédito ao financiamento de imóveis passou, pela primeira vez, o volume para financiar a compra de carros.

Eu conversei esta tarde com Maria Fernanda Coelho sobre o Minha Casa.

Perguntei quem teve a idéia.

A seguir reproduzo – não literalmente – o que ela me contou.

Em plena crise da quebra dos bancos em Nova York – setembro de 2008 -, o Presidente Lula reuniu a Dilma, Paulo Bernardo (Planejamento), Mantega, Henrique Meirelles (Banco Central) e os presidentes de bancos estatais: Caixa, BB, BNDES, Banco do Nordeste e da Amazonia.

E disse: quero crédito, crédito, crédito !

Se não tiver crédido não tem emprego.

Naquela altura, os bancos privados se sentaram na poça – não emprestavam à produção e se alimentavam dos juros pagos pelos titulos do Tesouro – sob os olhares compacentes do presidente do BankBoston, o próprio Meirelles – PHA.

Na pratica, como tem dito este ordinário blog, Lula assumiu a presidência do Banco Central, que, naquele momento, era um ente inanimado – PHA.

Na reunião seguinte, uma semana depois, para cobrar providências, Lula disse a Maria Fernanda: que tal construir 200 mil novas habitações ?

Maria Fernanda tomou um susto.

200 mil habitações era mais ou menos tudo o que a Caixa ia financiar em 2008.

Ficou de pensar, assustada.

Na reunião seguinte, uma semana depois, Lula cobrou: quero 500 mil moradias.

Não, 500 mil ? Isso é impossivel.

Maria Fernando foi trabalhar.

Na semana seguinte, Lula a recebeu com a decisão: terá que ser um programa de um milhão de moradias.

Menos de um milhão não é programa, disse Lula.

Não havia alternativa.

Lula sabia que a construção civil dá emprego.

Era a chave da estratégia.

A partir daí, conta Maria Fernanda, a bola ficou com a Dilma.

Dilma saiu para coordernar os ministerios, os bancos estatais e os governos estaduais.

E fazer o jogo começar o mais rápido possivel.

Esta primeira fase do MCMV vai produzir um milhão de moradias.

O MCMV 2 planeja construir 2 milhões.

E a Dilma já disse, na campanha eleitoral, que pretende financiar a casa e a compra dos eletro-domésticos principais: geladeira, fogão, por exemplo.

O amigo navegante já percebeu: o jenio vai ganhar essa eleição com o sigilo da filha que, em 2009, ele já sabia que tinha sido violado – e não fez nada, como governador do Estado em que se deu o crime.

Bye-bye Serra forever.

Paulo Henrique Amorim
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário