quarta-feira, 31 de maio de 2017

Nº 21.531 - "Para empresários, Rodrigo Maia diz que agenda da Câmara é a do mercado"

.

31/05/2017


Para empresários, Rodrigo Maia diz que agenda da Câmara é a do mercado



Jornal GGN - QUA, 31/05/2017 - 15:59


rodrigo_maia_-_marcos_correa_pr.jpg
Foto: Marcos Corrêa/PR

Jornal GGN - Durante discurso no Fórum de Investimentos Brasil 2017, em São Paulo, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse que a agenda da Casa está alinhada com as propostas do governo federal e com o mercado financeiro.

“A agenda da Câmara, em sintonia com a do presidente Michel Temer, tem como foco o mercado, o setor privado”, afirmou Maia, que disse que o presidente Michel Temer tem sido “corajoso” diante da crise política.

O deputado repetiu que a “Câmara vai manter a defesa da agenda do mercado”, criticando as regras atuais da Previdência Social e a legislação trabalhista em vigor e defendendo a aprovação das reformas do governo Temer.

“Não queremos mais que a burocracia brasileira prejudique a capacidade de investimento”, afirmou, dizendo que as reformas vão “dar tranquilidade a quem quer investir no Brasil”.

“Sem a reforma trabalhista, não haverá condições para o setor privado gerar empregos no país”, disse Maia para uma plateia composta de empresários e investidores.

“O Brasil não precisa de novas mudanças na Presidência da República, Com o presidente [Temer], se garante uma estabilidade muito maior", defendeu o presidente da Câmara, que também negou a possibilidade de colocar um dos pedidos de impeachment de Temer em pauta.

“Ao longo do tempo, as coisas vão se colocar no rumo correto e a gente vai conseguir continuar o nosso trabalho. A Câmara vai continuar legislando e não vamos abrir mão da nossa agenda, que é uma agenda de reformas”, disse.

O Fórum de Investimentos Brasil 2017 (ou Brazil Investment Forum) foi realizado nesta terça-feira (31) em São Paulo. Junto com Rodrigo Maia, estavam o presidente Michel Temer, Eunício Oliveira (PMDB-CE), presidente do Senado e tucanos como o ministro Aloysio Nunes, o governador Geraldo Alckmin e prefeito João Doria.


Com informações do Valor. Sugerido por Jackson da Viola

.