segunda-feira, 6 de junho de 2016

Nº 19.567 - "O pacto, em caso de derrubada do impeachment"


 

06/06/2016

 

O pacto, em caso de derrubada do impeachment

 



Não se pode fala em consenso no staff da presidente Dilma Rousseff. Mesmo porque a última palavra sempre será dela. Por outro lado, considera-se que Dilma está a um passo de ser conduzida ao cargo, devido aos erros clamorosos do governo Temer.

Há conversas internas no seu staff sobre as estratégias a serem adotadas, caso o impeachment seja derrubado.  E  começa a ser formado algum consenso em relação ao tema, que passa pela necessidade de um amplo acordo nacional.

Três questões são fundamentais:

1. Dilma reinstituída no cargo

2. Dilma se manter no cargo para poder passar para o seu sucessor, como mandam as normas democráticas.

3. Poderá ser em 2018 ou agora, se vingar a ideia de antecipar as eleições. Mas eleição antecipada só com pacto político para reforma.

São os três pontos inegociáveis. O resto é negociável, eleição antecipada, mandato tampão ou mandato estendido, tudo é negociável. Se encontrar uma solução defensável, que acene para a volta à normalidade democrática, o presidente do Senado Renan Calheiros terá interesse em levar adiante.

.