quarta-feira, 15 de junho de 2016

Nº 19.645 - "Machado amplia delação para DEM, PSDB e PP "

A lista de políticos entregue por Sérgio Machado inclui artífices do impeachment da presidente eleita Dilma Rousseff, como o deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), o senador José Agripino Maia (DEM-RN), o deputado Felipe Maia (DEM-RN), além do ex-senador e ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra (PE, morto em 2014).

"Embora a palavra propina não fosse dita, esses políticos sabiam ao procurarem o depoente que não obteriam dele doação com recursos do próprio, enquanto pessoa física, nem da Transpetro, e sim de empresas que tinham relacionamento contratual com a Transpetro", afirmou.

Segundo Machado, só o PMDB, seu padrinho político na subsidiária da Petrobras, arrecadou cerca de R$ 100 milhões em propina. Entre os principais beneficiados com o esquema, segundo ele, estão os senadores Renan Calheiros (AL), Romero Jucá (RR), Valdir Raupp (PMDB-RO), o ex-presidente José Sarney (PMDB-AP), além do ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), Garibaldi Alves (PMDB-RN) e Valter Alves (PMDB-RN).

Machado também relatou quais empresas aceitavam fazer pagamentos de propina referentes aos contratos com a Transpetro. Segundo ele, foram a Camargo Corrêa, Galvão Engenharia, Queiroz Galvão, NM Engenharia, Estre Ambiental, Polidutos, Essencis Soluções Ambientais, Lumina Resíduos Industriais e Estaleiro Rio Tietê.

.