domingo, 23 de outubro de 2016

Nº 20.131 - "Patrus Ananias: Contra o pacote pela perpetuação da ignorância"

.

23/10/2016

 

Patrus Ananias: Contra o pacote pela perpetuação da ignorância

 
Do Viomundo - 21 de outubro de 2016 às 19h58

 
Temer e Mendonça Filho assinam expansão do Fies 2016
Michel Temer (PMDB-SP) e Mendonça Filho (DEM-PE), o ministro da Educação assessorado pelo ator pornô Alexandre Frota. Foto: Lula Marques/AGPT, via Fotos Públicas


CONTRA O PACOTE DA IGNORÂNCIA

por Patrus Ananias*
 

Resultado de imagem para patrus ananiasOs estudantes do Brasil estão mobilizados por uma grande e justa causa: resistir a três propostas que, originárias das forças antipopulares e antidemocráticas instaladas no Governo Temer e no Congresso, ameaçam sacrificar os avanços alcançados nos últimos anos e impor ao país um terrível retrocesso na área vital que é a educação.

Essas ameaças estão contidas na PEC 241, na Medida Provisória 746 e no projeto da Escola sem Partido – também conhecido como Lei da Mordaça. São propostas altamente comprometedoras do interesse público nacional, lesivas e perversas à maioria do povo e, especialmente no caso da PEC 241 e da MP 746, tocadas no Legislativo com a pressa exigida pelos interesses privados.

Nenhuma das três propostas pretende melhorar a educação. Todas elas formam, acima de tudo, um pacote para perpetuar a ignorância.

A PEC 241, repito mais uma vez, desmontará nossas mais importantes instituições e políticas públicas, ao mesmo tempo em que congelará o país.

Vai tirar do orçamento da educação, em menos de uma década, mais de R$ 32 bilhões, além de arrasar políticas públicas também de outros setores essenciais, como saúde e assistência social.

A Medida Provisória 746, apresentada nos discursos governamentais como reformadora do ensino médio, irá deformá-lo, como sinalizam e atestam entidades de estudantes e de professores por todo o país.

O projeto da Escola sem Partido se constitui em nada menos do que uma ofensa gravíssima ao estado democrático de direito.

Esse pacote pela perpetuação da ignorância é, obviamente, desastroso para o Brasil. Nós o repudiamos, solidários aos estudantes que estão mobilizados e que preparam para esta segunda-feira, 24, o Dia Nacional de Luta do Movimento Educacional.

Apoiamos e apoiaremos sua resistência, praticada dentro das regras do estado democrático de direito e sem violência – saudável característica que tem marcado, até aqui, as recentes ocupações de escolas, diferentemente do comportamento intimidatório e policialesco de autoridades da educação.

.