terça-feira, 25 de outubro de 2016

Nº 20.147 - "Estagnação crônica e ressurgimento das forças fascistas, por Diogo Costa"

 

25/10/2016

 

Estagnação crônica e ressurgimento das forças fascistas, por Diogo Costa

 



por Diogo Costa

UMA NOVA DÉCADA DE 30? - O Crash de 15 de setembro de 2008 não é e nunca foi uma brincadeira ou invenção. A crise já vinha desde 2007 e estourou com a quebra do banco Lehman Brothers no ano seguinte (em 15 de setembro).

De lá para cá as economias desenvolvidas despencaram - foi uma sequência que iniciou nos EUA e passou por Europa e Japão. Hoje - desde 2014 - chegou nos países emergentes.
Vejamos o crescimento acumulado do PIB em alguns países selecionados (entre 2008 e 2016 / ano base de 2007):

-Crescimento acumulado do PIB entre 2008 e 2016 (total de 09 anos)¹
1. China: 104,8% - média de 8,3% ao ano
2. Índia: 80,9% - média de 6,8% ao ano
3. Coreia do Sul: 28,1% - média de 2,8% ao ano
4. Brasil: 14,4% - média de 1,5% ao ano
5. EUA: 10,6% - média de 1,1% ao ano
6. Alemanha: 8,7% - média de 0,9% ao ano
7. Rússia: 6,3% - média de 0,7% ao ano
8. Reino Unido: 6,2% - média de 0,6% ao ano
9. França: 3,2% - média de 0,3% ao ano
10. Zona do Euro: 2,1% - média de 0,2% ao ano
11. Japão: 1,3% - média de 0,1% ao ano
12. Itália: -7,6% - média de -0,8% ao ano

Tirando os fenômenos China e Índia o quadro é de estagnação econômica praticamente crônica. E olhe que tirando Rússia e Brasil as taxas de juros destes países estão abaixo de zero, em zero ou pouquíssimo acima de zero por cento ao ano.

Dentro deste contexto dramático dá para se dizer que o Brasil, em que pese a recessão de 2015 e 2016, ainda foi um dos países que melhor lidou com a crise econômica internacional (pelo menos por enquanto).

A Itália é um caso tenebroso, com grande queda do PIB na última década - há casos piores, evidentemente, como o da Grécia.

Quase ao fim, mais alguns dados:

-China, Índia e Coreia do Sul foram os únicos países que não tiveram nenhuma queda do PIB no período analisado
-A Itália, caso mais dramático, teve queda do PIB em 05 dos 09 anos analisados
Não é de se admirar que estejamos vendo pipocar no mundo inteiro um levante de partidos de extrema direita, fascistas e ultranacionalistas. O cenário da década de 10 do século XXI é muito similar ao que assistimos na década de 30 do século passado.

Enquanto as economias dos grandes países não saírem da estagnação provocada pelo Crash de 2008 o fantasma do fascismo continuará a crescer em maior ou menor grau.

Nem é bom imaginar o que seria do Planeta Terra caso a China não tivesse conseguido se manter no meio da tempestade do Crash de 2008.

Mas mesmo a China, que até 2007 crescia a taxas de dois dígitos anuais (crescimento incrível de 14,2% em 2007), parece estar arrefecendo. Hoje cresce "apenas" 6,5% ao ano com tendência de baixa nos próximos anos.

Pior ainda, aqui no Brasil só existe uma figura pública com capacidade e densidade política suficientes para recuperar a economia.

Essa figura atende pelo nome de Luiz Inácio Lula da Silva e é este cidadão, para desgraça das novas gerações, que uma elite político-econômica colonizada e mesquinha pretende destruir (para todo o sempre).



¹ O PIB de 2016 é uma estimativa do FMI. O PIB dos outros anos tem como fonte também o FMI.
.