terça-feira, 22 de novembro de 2016

Nº 20.355 - "Rio Grande do Sul decreta calamidade "

A decisão permite a adoção de "medidas excepcionais necessárias à racionalização de todos os serviços públicos”, com exceção dos serviços considerados essenciais, pelo secretariado, anuncia o decreto, sem dar detalhes de quais seriam essas medidas.

Entre os motivos estão a crise financeira e a queda na arrecadação. A situação agora deve ser reconhecida pela União.

Depois do Rio de Janeiro, o Rio Grande do Sul é o segundo estado a quebrar. A economia gaúcha também foi afetada pelo golpe parlamentar de 2016, que afundou a economia brasileira e derrubou não só a atividade econômica, como a arrecadação de impostos em todo o País.

Ontem, o governador José Ivo Sartori, do PMDB, anunciou seu pacote de arrocho, em que extingue fundações, demissões e anuncia privatizações (leia mais aqui).

.