sábado, 26 de novembro de 2016

Nº 20.386 - "Quem nasceu para Folha nunca chega a NY Times"

 

26/11/2016

 

Quem nasceu para Folha nunca chega a NY Times

 

fidelnyt


Por


Vem-me  por e-mail o trabalho do Gustavo Santos, coletando as manchetes mundiais, hoje:
BBC: “Ex-presidente cubano morre.”
The Telegraph: “Ícone revolucionário cubano morre.”
The Independent: “Líder revolucionário cubano morre.”
Reuters: “Líder da Revolução Cubana morre.”
The Guardian: “Líder revolucionário cubano morre.”
Die Zeit: “Líder revolucionário cubano morre.”
Le Figaro: “Pai da Revolução cubana morre.”
Time Magazine: “Ex-presidente cubano morre.”
Deutsche Welle: ” Morre herói cubano.”

Separei e pus lá em cima a manchete do The New York Times , o nec plus ultra da turma de punhos de renda das redações.


 E, do lado, o que os meninos da Folhinha de S. Paulo conseguiram produzir, algo semelhante ao comentário de um destes energúmenos de plantão que não consegue entender o tamanho dos fatos na História.

Ou será que acham que os jornalistas do NYT são um bando de castristas infiltrados na redação?

O contrário é mais provável:  gente que foi da esquerda e se passou para a direita, que não apenas se exibe vaidosamente para os novos donos como também abana o rabo  para espantar as moscas.

Pois Sartre, nelas,  encarnou as Erínias do grego Ésquilo, deusas do remorso e a culpa, que voejam sem parar em torno do infeliz que os carrega, que se vê dando golpes no ar.

Não conseguem entender finitudes e perenidades.

Por isso, talvez não se deem conta de que, daqui a pouco, quando o que escrevem  estiver  embrulhando – já que hoje não se embrulha mais peixe com jornal –  o produto dos nossos melhores amigos que não devemos deixar na rua, Fidel Castro estará nos livros de História.

.