quarta-feira, 12 de abril de 2017

Nº 21.206 - "E agora, Miguel? A farsa acabou!"


 12/04/2017

E agora, Miguel? A farsa acabou!

A blindagem não veio, só veio a sangria


Conversa Afiada - publicado 12/04/2017


unnamed (1).jpg

O Conversa Afiada tem o prazer de oferecer ao amigo navegante obra magnífica de dois talentos de sua modesta equipe: o Totonho Cunha, frasista (e poeta) incomparável, e o genial Bessinha.

Com a não desprezível contribuição do "José", do Drummond:

E agora, Miguel?
A farsa acabou, 
a luz apagou, 
o apoio sumiu, 
a o golpe esfriou, 
e agora, Miguel? 
e agora, você? 
você, unha de fome
que zomba dos outros, 
você que faz versos, 
que trai, não sai desta? 
e agora, Miguel?
Está sem poder, 
está sem discurso, 
está em desalinho, 
não pode esconder 
já não pode tramar, 
fugir já não pode, 
a noite esfriou, 
o dia não veio, 
o socorro não veio, 
a blindagem não veio 
só veio a sangria
e tudo manchou 
e tudo encardiu 
e tudo lascou, 
e agora, Miguel?
E agora, Miguel¿
sua doce palavra, 
por mais que se negue,
sua gula incomum
ambição que não seca
seu roubado tesouro 
seu telhado de vidro, 
sua incoerência, 
seu ódio - e agora?
Com a chave do Acordão 
quer abrir o portão, 
não existe portão; 
quer morrer no mar, 
mas o mar secou; 
quer ir as suas rimas
rimas não há mais. 
Miguel, e agora?
Se você gritasse, 
se você gemesse, 
se você tocasse 
um hino forense, 
se você dormisse, 
se você cansasse, 
se você renunciasse...
Mas você não renuncia, 
você é duro, Miguel!
Sozinho no escuro 
qual bicho-do-mato, 
sem teogonia, 
sem parede nua 
para se encostar, 
sem homens de preto 
pra sua fuga a galope, 
você marcha, Miguel! 
Miguel, para onde?

- ​Totonho Cunha​
.