domingo, 15 de janeiro de 2017

Nº 20.691 - "A conexão 'Derziê' põe Temer de cabelos em pé. E ele finge que mal o conhece"

.
15/01/2017

A conexão “Derziê” põe Temer de cabelos em pé. E ele finge que mal o conhece


Do Tijolaço · 15/01/2017


geddover



POR FERNANDO BRITO


Não é preciso senão o Google para estabelecer a imensa proximidade entre Michel Temer e Roberto Derziê de Santa’anna, citado por Geddel Vieira Lima como peça importante do seu esquema de liberação de verbas em troca de propinas partilhado entre ele e Eduardo Cunha.

Vejam se é possível acreditar na alegação publicada hoje na Folha de que “a assessoria da Presidência da República diz que Temer não tem proximidade com Derziê e não foi o responsável pela sua indicação a cargos na Caixa”.

Aos fatos. Derziê inciou sua ascensão ao primeiro escalão em 2011, Antes, era subordinado de Moreira Franco na diretoria de Loterias da Caixa:

Roberto Derziê deixa Sualo

Na última sexta-feira(17/6/2011)), ficou publica a informação sobre a saída do superintendente Nacional de Loterias da Caixa Econômica Federal, Roberto Derziê de Sant’Anna. O dirigente foi convidado pelo vice-presidência de Pessoa Jurídica, Geddel Vieira Lima, para assumir a Diretoria Executiva da Vice-presidência de Pessoa Jurídica do banco.

Vice-presidente da Caixa deixa cargo para trabalhar com Temer

Brasília, 02/6/2015 – O vice-presidente de Operações Corporativas da Caixa Econômica Federal, Roberto Derziê de Sant’Anna, foi exonerado do cargo, segundo decreto publicado no Diário Oficial da União desta terça-feira, 02. Sant’Anna vai trabalhar como secretário-executivo do vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB), na articulação política.

Secretário-executivo, para os menos versados em administração federal, é o segundo em comando, uma espécie de Vice-Ministro.

Meses depois, quando Temer deixa a articulação política do governo (e não a do golpe, na qual era o chefe, ao lado de Cunha), ele faz questão de colocar Derziê de volta na Caixa e tem uma briga com Mercadante por isso:

Indicação para a Caixa é foco de atrito entre Temer e Mercadante

A indicação a uma das vice-presidências da Caixa provocou mais um atrito na já desgastada relação entre o vice-presidente Michel Temer (PMDB) e o ministro Aloizio Mercadante (Casa Civil). Temer ficou irritado ao saber que Mercadante consultou o líder do PMDB na Câmara, Leonardo Picciani (PMDB-RJ), antes de definir o nome do futuro ocupante de uma das mais cobiçadas cadeiras do banco. O vice-presidente pretendia emplacar Roberto Derziê, que já ocupava este posto na Caixa, mas o deixou para assumir a secretearia-executiva da SRI (Secretaria de Relações Institucionais) quando Temer ficou responsável pela negociação do governo com o Congresso. Quando Temer abandonou a articulação política, tentou recolocar o aliado na Caixa

Temer ganhou a parada e Derziê voltou à Caixa, como vice-presidente de Pessoa Jurídica, mesmo cargo que Geddel ocupava antes. Mas  em abril de 2016, diante da traição de Temer, Dilma o exonera:

 Dilma exonera vice-diretor da Caixa indicado pelo PMDB

A presidenta Dilma Rousseff exonerou mais um funcionário do governo indicado pelo PMDB. O vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Roberto Derziê de Sant’anna, foi desligado do cargo hoje (1º). O PMDB decidiu deixar o governo em decisão na última terça-feira (29). Indicado pelos peemedebistas Moreira Franco e Geddel Vieira Lima, Derziê é funcionário de carreira da Caixa e trabalhou com o vice-presidente Michel Temer, que é presidente do PMDB, durante o período em que Temer atuou na articulação política do governo, até agosto do ano passado.

No poder, Temer nomeia Derziê outra vez para uma vice-Presidência da Caixa. A nomeação só saiu em dezembro por uma razão simples, que retardou a recolocação do amigo à boca do cofre: Derziê havia sido colocado em quarentena em junho de 2016 pela Comissão de Ética Pública, recebendo mesmo afastado do cargo e só podia ser nomeado depois de encerrado o período, exatamente como fez Michel Temer.

.

.