terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Nº 20.710 - "Alckmin prende Boulos"

17/01/2017

Alckmin prende Boulos

E exporta o PCC...

Conversas Afiada - publicado 17/01/2017
.
Boulos21.jpg
Créditos: Oswaldo Cornetil/Fotos Públicas
Prisão absurda de Guilherme Boulos

O companheiro Guilherme Boulos, membro da coordenação nacional do MTST, que estava acompanhando a reintegração de posse da ocupação Colonial, visando garantir uma desfecho favorável para as mais de 3000 pessoas da ocupação, acaba de ser preso pela PM de São Paulo sob a acusação de desobediência civil.

Um verdadeiro absurdo, uma vez que Guilherme Boulos esteve o tempo todo procurando uma mediação para o conflito.

Neste momento, o companheiro Guilherme está detido no 49ª DP de São Mateus.

Não aceitaremos calados que além de massacrem o povo da ocupação Colonial, jogando-os nas ruas, ainda querem prender quem tentou o tempo todo e de forma pacífica ajuda-los.

Movimento dos Trabalhadores Sem Teto
Em tempo: o Conversa Afiada conversou por telefone com Felipe Vono, advogado do MTST.
Segundo Vono, o grupo prestava auxílio aos moradores da ocupação Colonial, em São Mateus, zona leste de São Paulo. O terreno foi ocupado por mais de 700 famílias há mais de um ano e meio. Hoje, às seis horas da manhã, a Polícia Militar de São Paulo posicionou a tropa de choque para cumprir a reintegração de posse e expulsar mais de três mil pessoas do local.
O MTST não é um dos participantes da ocupação Colonial. Mesmo assim, Guilherme Boulos, uma das lideranças do movimento, tentava realizar uma mediação, para promover ao menos uma saída sem violência. Juntos com Boulos, estavam também mais seis pessoas, entre advogados e a vereadora Juliana Cardoso (PT).
Entretanto, o capitão da tropa de choque decidiu deter Guilherme Boulos por desobediência, alegando que havia interrompido a operação.
Boulos foi levado ao 49o. DP em São Mateus, onde aguarda ser ouvido.
Por Carlos Melo.
Reprodução: MTST
Reprodução: MTST
.