terça-feira, 9 de agosto de 2016

Nº 19.719 - "O Golpe que o Cristóvam deu"

.

09/08/2016

O Golpe que o Cristóvam deu

Vai para Paris, senador?

 
Conversa Afiada - publicado 09/08/2016
 
 
Cristovam.jpeg
2002: Dilma, ministra de Minas e Energia, o presidente eleito, e o Traíra-I (Reprodução: UOL)


Cristóvam Buarque desceu do muro e deu entrevista à Fel-lha para confessar que vai votar a favor do impeachment.

Cristóvam foi o primeiro Ministro da Educação do Lula, que o demitiu por telefone, porque ele não trabalhava e vivia em congressos no exterior...

Começou aí a trairagem.

Candidatou-se a presidente, para tirar votos do Lula, em 2006 e, por isso recebeu, segundo o editor Luiz Fernando Emediato, que trabalhava na campanha, um mimo de valor irrecusável.

Agora, no Golpe, ele esteve lá e cá.

(Devia colocar mimos na balança...)

Participou de várias reuniões com Dilma para derrubar o impeachment no Senado.

Foi um dos redatores da carta que Dilma entregará aos brasileiros, com a convocação de plebiscito para a eleição.

Fez cortes adjetivos, respeitados pelos outros redatores, mas num ponto ele insistia: não se pode falar em Golpe!

E é isso o que ele diz à Fel-lha: não é Golpe.

A certa altura, o ansioso blogueiro soube que alguém teria sugerido que Cristóvam fosse o chanceler do novo Governo Dilma.

Para ele poder continuar a voar de primeira classe ao exterior.

(Ah, esses provincianos irrecuperáveis...)

Mas, aparentemente, ele preferiu um Golpe mais seguro.

Fonte do ansioso blogueiro assegura que Cristóvam será o embaixador Golpista na Unesco, órgão da ONU com sede em... Paris!

Golpe de mestre!

PHA
.