quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Nº 20.611 - "O “almirante” Temer pede “pensamento positivo” contra o naufrágio do Brasil"

O "almirante" Temer pede 'pensamento "positivo" contra o naufrágio do Brasil

temerbal

O programa de recuperação econômica do Governo Temer foi condensado por ele mesmo hoje, ao fazer um balanço dos quase sete meses que está no poder – embora nos imensos anúncios que mandou publicar nos jornalões se diga que”120 dias”-  quando o ocupante do Planalto pediu “pensamento positivo” aos brasileiros para que 2017 seja o ano, como disse em sua mensagem de Natal, “em que sairemos da crise”.
No fundo é isso mesmo em que aposta brilhante teoria econômica que sustenta a ideia de que, decepada até o talo, a economia brasileira, como que  por encanto, rebrotará, verde e viçosa, para torná-lo um improvável herói nacional.
Só que não.
Parece mesmo incrível que não se veja que o Brasil é como um barco que se aproxima, completamente avariado, de uma cortina de nuvens que é o mundo com Donald Trump no comando dos EUA .
O tanque  de lastro das contas públicas está inundado até os joelhos,  com alguns compartimentos estaduais já com água além do pescoço, a produção em queda, os investimentos – as velas da economia baixados até o convés, uma tripulação que desacredita – quando não simplesmente repele – o comandante , que manobra o timão à base do “dá ordem e recua”, num rumo que ele não sabe qual é, mas imagina em seu “pensamento positivo”.
Este é o estado de navegação do transatlântico Brasil que, pior ainda, tem um oficialato que o comanda como se fosse um misto de uma reles barqueta e um navio negreiro, onde s ralé possa ser condenada eternamente a escuros porões.
Na sua fala aos jornalista, anunciou-se o “grande reformador”, pelo fato de acreditar que os feitores parlamentares serão sempre obedientes, estalando seus chicotes sobre o povo, tirando-lhe o pouco que tem, mantendo a calma nas galés.
Enquanto ele, imponente, com os galões e as medalhas da infâmia e da traição posará de Lord Nélson no tombadilho, numa apoteose da vaidade tola que o domina.
Michel Temer, em cada cena que protagoniza, revela-se um canastrão de quinta categoria e não é diferente esta pose que faz de almirante.
A não ser que seja o do Titanic.
.