terça-feira, 20 de setembro de 2016

Nº 19.985 - "Para o mundo ver"


.
 20/09/2016

Para o mundo ver

 

Brasil 247 - 19/09/2016

 

 
Leandro Fortes
 
Leandro Fortes
As imagens de soldados da Polícia Militar espancando, arrastando e ROUBANDO uma mulher que vendia refrigerantes na Avenida Paulista mão é só uma cena absurda e revoltante.

É o retrato do Brasil pós-golpe, como, antes, havia sido aquele outro, de soldados da PM e da Polícia do Exército, investindo com cavalos e espadas contra brasileiros e brasileiras na igreja da Candelária, no Rio de Janeiro, no sangrento ano de 1968.

Quando se rompe o processo democrático, libertam-se os demônios do fascismo e os cães raivosos, sobretudo os de farda, enlouquecem com o cheiro de sangue.

Essa tragédia com ares de carnificina tem sido, até agora, o principal legado desse teatro macabro do golpe parlamentar, da seletividade da Lava Jato e do espetáculo de insensatez e fanatismo religioso em torno da investigação e da denúncia do Ministério Público Federal contra o presidente Lula.

Depois, não reclamem.
.
.