sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Nº 20.060 - " 'Eu não tenho culpa'… O 'tadinho' do Temer e a 'culpa' do desemprego "

.
30/09/2016

 

“Eu não tenho culpa”… O “tadinho” do Temer e a “culpa” do desemprego

tcr


Por



Mimimichel Temer, covarde que é, saiu-se com um “a culpa não é minha” hoje, diante do desemprego de 12 milhões de  pessoas medido pelo IBGE neste trimestre – aliás, “todinho dele” pois está a 12 dias de completar cinco meses ocupando o Palácio do Planalto.

Philip Agee, o ex-agente da Cia  que revelou suas entranhas em seu clássico Por Dentro da Companhia tinha um nome-código para este tipo de método: TCR, onde o T era “tirando” e o R era “da reta”. O C deixo por conta do leitor…

A culpa do desemprego nunca é de uma pessoa. Duvido que ele ou o Meirelles , escondidinhos em sua casas fiquem murmurando entre os dentes: “oba, vou jogar dois milhões na miséria, que legal….” Aliás, nem eles nem o desaparecido Joaquim Levy, que deu o pontapé inicial nesta desgraça.

A culpa do desemprego é de políticas econômicas,  que vem de idéias muito “certinhas”, “muito arrumadinhas”, apresentadas por  homens em ternos impecáveis e linguagem de sábios.

Que vinham, embora ainda com alguma pouca rédea que Dilma lhe dava – e o mercado reclamava disso – e que é a mesma, aprofundada, a que se dá desde o golpe.

É cortar, cortar, cortar (claro que não os privilégios), como os “médicos” da Idade Média, acham que a cura vinha por meio de sangrias e amputações. Mas para a patuleia, porque à corte não decepavam mãos e pés.

É óbvio que é importante ter as contas públicas arrumadas.

Mas que contas públicas podem ser “arrumadas” pagando juros que produzem um déficit que nem dez vezes mais aposentados causariam?

A “culpa” do desemprego é desta política, senhor Presidente ilegítimo.

Dessa gente que acha que o que é preciso é mais “pau no povo”, que um dia ainda lhe agradecerá a surra, como os meninos peraltas de antigamente deveriam agradecer pelas varadas de marmelo com que os vergastavam.

O senhor queria a Presidência, não tinha votos nem projetos para tê-la, conspirou, agiu como um rato e agora a tem.

O preço de tê-la assim a governar contra o povo.

Vire-se.

.