segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Nº 20.030 - "O recado da Globo ao escalar Faustão para bater no governo que ela colocou no poder. Por Kiko Nogueira"

 .

26/09/2016 

 

O recado da Globo ao escalar Faustão para bater no governo que ela colocou no poder. Por Kiko Nogueira




Quando até o Faustão critica o governo Temer, é porque a coisa está realmente no bico do corvo e os velhos ladravazes precisam se coçar.

Não há nada que Faustão faça que não seja combinado com seus donos. Ele passa a impressão de ser o campeão da espontaneidade, o fulano que “fala a verdade na cara dos outros”, o tio que “não tem rabo preso” e por aí vai.

Besteira. É cálculo e o papel que ele representa na emissora.

Fausto Silva bateu em Dilma ao longo dos últimos anos com força e com vontade. “Este é o país da corrupção e da incompetência”, disse uma vez. Detonou a Copa. Elogiou as manifestações coxas. Para cada Marieta Severo, foram milhares de Arys Fontouras.

No domingo, dia 25, resolveu criticar a trapalhada no anúncio da reforma do ensino médio. “A educação física os caras iam tirar. Essa porra desse governo nem começou, não sabe se comunicar e já faz a reforma sem consultar ninguém”, atacou, enquanto falava sobre a Olimpíada com o ginasta Diego Hypólito.

“O país que mais precisa de educação faz uma reforma com cinco gatos pingados que não entende porra nenhuma, que não consulta ninguém e aí, de repente, tira a educação física, que é fundamental na formação do cidadão”, prosseguiu.

“Aí, quando você percebe, um país como esse, que tem uma saúde de quinta, não tem segurança, não tem emprego, não tem respeito a profissões básicas. O país que não respeita professor, pessoal da polícia e pessoal da área de saúde e um país que não oferece o mínimo ao seu cidadãos”.

A Globo ganha na aparência de imparcialidade, escalando uma de suas estrelas para se indignar com uma corja que a emissora ajudou a colocar no poder, e o governo do golpe fica mais uma vez ciente de quem manda na parada.

2017 está aí. Ou Temer reage ou cai para que eleições indiretas ponham Meirelles no trono.

A sorte de Temer e cia. é que, com Kim Kataguiri e o MBL cuidando da porra da comunicação, tudo vai dar certo nessa porra.


Acompanhe as publicações do DCM no Facebook. Curta aqui.
Sobre o Autor
Kiko Nogueira - Diretor-adjunto do Diário do Centro do Mundo. Jornalista e músico. Foi fundador e diretor de redação da Revista Alfa; editor da Veja São Paulo; diretor de redação da Viagem e Turismo e do Guia Quatro Rodas.