terça-feira, 13 de setembro de 2016

Nº 19.932 - "Paulo Pimenta: Temer tenta impedir que ex-ministro que o acusou de abafar a Lava Jato fale à Câmara; Randolfe quer depoimento no Senado"

 

13/09/2016 

  Lava Jato já era?

Paulo Pimenta: Temer tenta impedir que ex-ministro que o acusou de abafar a Lava Jato fale à Câmara; Randolfe quer depoimento no Senado

 

Do Viomundo - 13 de setembro de 2016 às 15h38
 .
 
Captura de Tela 2016-09-13 às 15.36.25

Denunciado por “abafar a Lava Jato”, governo Temer tenta calar ex AGU impedindo que ele vá à Câmara dos Deputados, petistas vão ao MPF


Das assessorias de imprensa, com Fabricio Carbonel (foto)

O governo Michel Temer retirou o quórum da sessão da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle, nesta terça-feira (13), para impedir a ida o ex-ministro-geral da União, Fábio Medina Osório, à Câmara dos Deputados.

Ele daria detalhes sob a pressão que sofreu do próprio Michel Temer e do ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, para não avançar na obtenção de elementos da Operação Lava Jato.

Na semana passada, Fábio Medina Osório foi demitido pelo governo por estar, segundo a imprensa, avançando demais em investigações contra figuras políticas ligadas a Michel Temer.

O deputado federal Paulo Pimenta (PT-RS) classificou o episódio como uma “confissão de culpa” do governo Temer.

“Denuncio aqui a covardia desse governo e a omissão dos seus parlamentares, que tentam impedir que possamos cumprir, de maneira plena, a nossa obrigação, que é fiscalizar o executivo”, protestou o parlamentar.

Petistas vão formalizar denúncia ao Ministério Público Federal

Pimenta informou que a bancada do PT deverá formalizar, nos próximos dias, uma denúncia ao Ministério Público Federal para que se investigue “esse fato gravíssimo”.

O parlamentar lembrou que, por muito menos, o chefe do Ministério Público, Rodrigo Janot, denunciou o ex-presidente Lula por obstrução à justiça.

“Até mesmo o Eduardo Cunha foi afastado pelo Supremo Tribunal Federal por denúncias muito menos contundentes. E até agora, há um silêncio constrangido de Rodrigo Janot e do STF sobre as denúncias de que o governo Temer atua para abafar a Lava Jato”, cobrou o parlamentar.

Essa não é a primeira que são reveladas ações do governo Temer para deter a Operação Lava Jato.

Em maio desse ano, o ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, foi flagrado em escutas telefônicas falando em um “pacto nacional” para barrar as investigações de corrupção contra políticos no país, especialmente de nomes do PMDB e do PSDB.

Naquela oportunidade, Jucá e seu interlocutor, o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, utilizaram expressões como “mudar o governo para estancar a sangria”, “a solução mais fácil era botar o Temer num grande acordo nacional”, e “aí parava tudo, delimitava onde está”.

Randolfe cobra explicações do governo Temer sobre enfraquecimento da Lava Jato

O senador Randolfe Rodrigues (REDE – AP) apresentou, no Plenário do Senado Federal, três requerimentos que, se aprovados, vão convocar a Advogada-Geral da União, Grace Maria Fernandes Mendonça, o ex-Advogado-Geral da União, Fábio Medina Osório e o Ministro-Chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, a prestarem esclarecimentos acerca das graves declarações, divulgadas na mídia, de que o atual governo teria interesse em enfraquecer a Operação Lava Jato.

Recentemente, grandes veículos da imprensa nacional trouxeram a público declarações graves acerca de que o do atual governo teria interesse em abafar a Operação Lava Jato.

Segundo informações de matéria publicada no Blog do Josias, Fábio Medina, exonerado recentemente do cargo de Advogado-Geral da União (AGU), teria sido demitido por ter se desentendido com Padilha, em razão de estar se movimentando para mover ações por improbidade administrativa contra os políticos ligados ao escândalo de desvio de recursos da Petrobrás, entre os quais 14 parlamentares e ex-parlamentares.

Essa intenção teria desagradado o governo Temer que pretenderia, segundo Fábio Osório, “abafar a Operação Lava Jato”.

Ainda segundo Medina, Grace Mendonça pode ter agido com o objetivo de impedir o acesso aos dados relativos à Lava Jato, dificultando o andamento dos processos de apuração das responsabilidades, supondo inclusive que Padilha pode ter feito alguma intervenção junto a Grace, que, de algum modo, teria compactuado com a manobra de impedir o acesso ao material.

Agora, é necessário que o Presidente da Sessão coloque em pauta os requerimentos para que o Plenário do Senado Federal faça a votação. Só após a aprovação no Plenário, os convocados serão intimados a prestar esclarecimentos em uma Comissão da Casa.

..